Vacinação em massa em Botucatu: infectologista orienta sobre reações à vacina da AstraZeneca


Levantamento dos sintomas possíveis após receber a dose faz parte do estudo sobre a efetividade da vacina Oxford/AstraZeneca. Mais de 66 mil moradores de Botucatu foram vacinados no domingo (16), Dia D da imunização que faz parte de estudo inédito. Vacinação Botucatu: Moradores relatam apenas reações leves após receberem o imunizante
Neste domingo (16), mais de 66 mil moradores de Botucatu receberam a primeira dose da vacina Oxford/AstraZeneca no “Dia D” da vacinação em massa da população de 18 a 60 anos. A vacinação é uma das etapas do estudo de efetividade do imunizante que é realizado na cidade de quase 150 mil habitantes e o levantamento de reações à vacina também faz parte dessa pesquisa.
Segundo o infectologista Carlos Magno Fortaleza, que integra a equipe de pesquisadores desse estudo em Botucatu, os sintomas são na sua grande maioria leves e comuns. Na segunda-feira (17), o pronto-socorro adulto da cidade atendeu 120 pessoas que procuram atendimento relatando sintomas leves de reação à vacina e esses pacientes foram encaminhados para unidades básicas de saúde.
Botucatu passa a ser cidade paulista com maior cobertura vacinal da 1ª dose contra Covid
Entenda como será o sequenciamento genético das variantes do coronavírus
A maioria relatou dor no corpo, dor de cabeça e febre, reações que inclusive constam na bula da vacina Oxford/AstraZeneca e que pode ser consultada no site do Ministério da Saúde.
“São sintomas bastante frequentes e costumam desaparecer no máximo em dois dias. São desconfortáveis, mas não são graves e a gente tem que lembrar sempre que o benefício da vacina é muito maior que o desconforto que esses sintomas possam vir a causar”, afirma o infectologista.
Durante a vacinação em massa, no domingo, foram distribuídos medicamentos com princípio ativo do paracetamol e, de acordo com o especialista, esse é o medicamento mais indicado para as reações comuns à vacina.
“O paracetamol tem sido usado mundialmente nas aplicações da vacina da AstraZeneca , a exemplo da Inglaterra. Ele pode ser usado por um adulto na dose máxima de 750 mg de seis e seis horas e ele realmente reduz bastante os sintomas de dor no corpo e febre pós-vacinais”.
Morador de Botucatu toma vacina contra Covid neste domingo
Fernando Savioli/TV TEM
O médico infectologista ressaltou que não houve nenhum registro de reação mais grave e alertou sobre a possibilidade da pessoa vacinada estar com o vírus incubado. Nesse caso pode haver sintomas respiratórios que precisam ser monitorados.
“Isso porque a proteção da vacina só começa três semanas após a aplicação da vacina, então é possível que alguém que apresente problemas respiratórios já possa estar com o vírus e desenvolva os sintomas agora, mas isso não pode ser confundido com efeitos colaterais da vacina.”
“Quando a gente toma a vacina fazemos um ato de cuidado próprio e também dos outros. É um ato de solidariedade com toda a comunidade.”
Sobre os efeitos graves, Carlos Fortaleza ressaltou que a incidência é muito baixa e reforçou a importância de se vacinar.
“O que nós temos descritos como efeito graves, que são chamados de trombóticos, nós vimos quatro casos a cada 1 milhão de doses aplicadas na Europa. No Brasil é muito menor ainda a incidência. Então, são eventos raros e a vacina é muito mais segura, inclusive, do que vacinas que já usamos no nosso calendário vacinal.”
Vacinação em massa
O Dia D de vacinação em massa contra a Covid-19 terminou com mais de 66 mil moradores imunizados neste domingo. O objetivo era aplicar a primeira dose da vacina de Oxford/AstraZeneca em 60 mil pessoas, ou seja, em 80% do público-alvo, meta que foi superada com a ação.
Mais de 65 mil pessoas foram vacinadas em Botucatu, no interior de São Paulo
Para isso, foi montado um esquema que transformou os 45 locais de votação utilizados para as eleições de 2020 em pontos de vacinação, e 2,5 mil pessoas trabalharam como voluntárias. A ação teve apoio da Justiça Eleitoral, da OAB Botucatu e do Ministério Público.
A imunização em massa começou logo cedo. Às 6h, as doses saíram da Secretaria de Saúde de Botucatu, onde ficaram armazenadas, e foram distribuídas nos locais de vacinação. A partir das 7h, começou a imunização dos 2,5 mil voluntários e, às 8h, do público em geral, dividida em faixas etárias.
Vacinação em massa em Botucatu contra a Covid-19 foi feita neste domingo, 16 de maio de 2021
Reprodução/TV TEM
O ministro da Saúde Marcelo Queiroga participou da vacinação em massa. Durante a visita à cidade, Queiroga aplicou a vacina em uma moradora, a aposentada Suze Helena Crespam, de 58 anos.
O ministro também disse que está animado com a pesquisa inédita, que deve apresentar resultados de interesse mundial.
Ministro da Saúde aplica vacina contra Covid em moradora de Botucatu
“O objetivo nosso, como eu falei, é vacinar a população brasileira até o final do ano e as pesquisas vão nos trazer respostas. Não só para o Brasil, mas para a comunidade mundial.”
Os moradores que tinham título de eleitor na cidade poderiam receber a vacina no mesmo local em que votaram na última eleição. Já as pessoas que não têm cadastro eleitoral em Botucatu, mas têm comprovante de endereço no município, foram vacinadas em quatro ginásios.
Moradores de Botucatu fazem fila para tomar vacina contra Covid
Fernando Savioli/TV TEM
Os moradores que participaram da vacinação em massa contaram sobre a emoção que sentiram ao receberem a vacina.
A primeira paciente diagnosticada com Covid-19 no centro-oeste paulista ficou emocionada ao ver a filha de 41 anos tomar vacina neste domingo (16).
Primeira paciente diagnosticada com Covid na região se emociona ao ver filha tomar vacina em Botucatu
TV TEM/Reprodução
E uma cena inusitada também chamou atenção de algumas pessoas durante a vacinação. O publicitário e estudante de direito Daniel de Carvalho, de 40 anos, decidiu se fantasiar de jacaré para tomar a vacina.
“A gente consegue transformar Brasil inteiro em jacaré em um dia se houver vontade”, comentou.
Morador de Botucatu toma vacina contra Covid fantasiado de jacaré
Arquivo pessoal
Os moradores de Botucatu também puderam doar alimentos. Caminhões estavam espalhados pela cidade para arrecadar os mantimentos, que serão encaminhados para entidades e distribuídos para famílias carentes.
As Forças de Segurança de Botucatu também montaram um esquema para o dia da ação, e todo o efetivo dos policiais civis, militares e GCMs esteve nas ruas neste fim de semana.
Segundo a polícia, se alguém apresentasse documento falso para tomar vacina seria responsabilizado criminalmente e, dependendo da situação, poderia ser preso em flagrante. No entanto, de acordo com a PM, a vacinação foi tranquila e não houve intercorrências.
Próximas ações
Alguns moradores não tomaram a vacina contra a Covid-19 durante a imunização em massa (veja abaixo). Essas pessoas precisam se cadastrar no site Vacina Já até esta terça-feira (18) e também no “pré-cadastro vacinal” da prefeitura.
Moradores que se enquadram nas regras do Dia “D”, mas não estavam em Botucatu na data da vacinação em massa;
Moradores que se enquadram nas regras do Dia “D”, mas tomaram a vacina da gripe (H1N1) em um período inferior a 15 dias da data de vacinação em massa;
Pessoas que não se enquadram nas regras do Dia “D”;
Moradores que tiveram Covid-19 no prazo de 30 dias antes vacinação.
Botucatu é palco de estudo sobre eficácia da vacina Oxford/AstraZeneca
Segundo a prefeitura, 5 mil pessoas que não receberam a dose no Dia D já fizeram o cadastro para se vacinarem nos próximos dias. A prefeitura ainda vai informar sobre o procedimento que deverão fazer para serem imunizados entre os dias 18 e 22 de maio.
Os universitários que moram na cidade, mas não têm comprovante de endereço em seu nome, também serão imunizados, mas em uma ação exclusiva também nesta semana.
Veja mais notícias da região do G1 Bauru e Marília
VÍDEOS: assista às reportagens da TV TEM