Santa Casa de Jaú recebe pacientes mesmo após apelo de colapso no atendimento, diz diretoria


Hospital afirmou que pessoas com sintomas de Covid têm sido transferidas na chamada “vaga zero”. Estado informou que o recurso é previsto em casos que envolvam risco de morte ou sofrimento intenso do paciente e é uma exceção. Pacientes são atendidos em corredores e salas improvidas. Santa Casa de Jaú improvisa corredor para atender pacientes com Covid no pronto-socorro
Arquivo pessoal
A Santa Casa de Jaú (SP) afirmou que o estado continua enviando pacientes de outras cidades para lá, mesmo após o aviso da direção de que não há mais leitos disponíveis e o apelo de colapso no atendimento.
Segundo o hospital, o governo estadual, responsável pela regulação de vagas, foi avisado, mas continuou enviando pacientes chamados de “vaga zero”.
Santa Casa afirma que estado transfere pacientes mesmo após apelo por falta de vagas
Em nota, a Secretaria Estadual de Saúde disse que as transferências inter-hospitalares e intermunicipais são feitas quando há necessidade.
A afirma ainda que o recurso chamado “vaga zero” é previsto em casos que envolvam risco de morte ou sofrimento intenso do paciente, portanto, se caracteriza como uma exceção à regra.
Santa Casa de Jaú improvisa corredor para atender pacientes com Covid no pronto-socorro
Arquivo pessoal
Atendimento comprometido
Santa Casa de Jaú improvisa corredor para atender pacientes com Covid no pronto-socorro
Arquivo pessoal
O hospital está com quase 200% a mais da capacidade de atendimento específico para Covid-19. Os corredores do pronto-socorro e de outras alas do hospital foram tomados por macas.
Pacientes com Covid ou com suspeita da doença são atendidos e monitorados até em salas que antes eram usadas para atividades administrativas, como o serviço socia. Um vídeo que a equipe de reportagem da TV TEM teve acesso mostra a situação no hospital. (Veja no vídeo abaixo).
Sem vagas de UTI, Santa Casa de Jaú admite colapso por causa da lotação
Há pacientes entubados pra todo lado no hospital. Atualmente, 123 pessoas com coronavírus estão sendo atendidas na unidade. Os leitos do SUS já ultrapassaram a ocupação máxima, 35 pessoas estão aguardando vagas, e 12 pacientes precisam de UTI.
De acordo com, gerente da Santa Casa, a equipe do hospital começou a perceber um número muito elevado de pacientes a partir da segunda semana de janeiro e acredita que a situação foi um reflexo das festas de fim de ano. Em relação ao oxigênio, Scila explicou que a unidade ainda não registrou falta do gás.
“Oxigênio nós temos, mas não temos ponto de oxigênio. Se começar a chegar mais pacientes do que já está, ele vai ter que ser acomodado numa cadeira com cilindro de oxigênio do lado”, explica.
Santa Casa de Jaú fez carta pedindo socorro para transferir pacientes: ‘Chegamos ao colapso’ – Covid-19 coronavírus
Santa Casa de Jaú/Divulgação
Mais leitos
Sobre a abertura de mais leitos e pedido de ajuda da Santa Casa sobre as vagas de UTI, a Secretaria de Estadual de Saúde informou, também em nota, que o DRS de Bauru recebeu o ofício da Santa Casa e “está em diálogo com gestores para garantir atendimento à população”.
A pasta disse ainda que trabalha para ativar 42 leitos na região de Bauru que vão contemplar o hospital de campanha instalado no prédio da USP, o Hospital Estadual e o HC de Botucatu.
Até segunda-feira (25), a SES informou que “a ocupação era de 86% em UTI e 61,9% na região, portanto há condições de assistir os pacientes”. Segundo a pasta, eventuais transferências inter-hospitalares e intermunicipais de pacientes serão feitas se e quando houver necessidade.
Fase vermelha
19ª atualização do Plano São Paulo
Reprodução
Jaú faz parte do DRS de Bauru, que foi rebaixado para a fase vermelha da quarentena na última reclassificação do Plano São Paulo. A prefeitura de Jaú publicou um decreto adequando a cidade às regras mais restritivas do plano, para evitar a disseminação da Covid no município.
Segundo o documento, não podem funcionar com atendimento ao público as atividades não-essenciais, como lojas do comércio em geral e escritórios. Já as atividades consideradas essenciais (supermercados, farmácias, restaurantes, etc) podem atender com restrições.
No caso de bares, restaurantes e lanchonetes, o atendimento deve ser feito exclusivamente por delivery e drive-thru, sem consumo no local.
De acordo com o último boletim epidemiológico divulgado pela prefeitura de Jaú nesta terça-feira (26), a cidade já registrou 6.101 casos positivos de coronavírus desde o início da pandemia e 128 mortes pela doença. (Confira os números da pandemia nos 100 municípios do centro-oeste paulista.)
Veja mais notícias da região no G1 Bauru e Marília.
Veja mais notícias do centro-oeste paulista: