Primeira mulher negra eleita prefeita, vereadora trans e reeleitos: destaques do pleito 2020 no centro-oeste paulista


Eleições municipais aconteceram em novembro e não outubro como nos anos anteriores por causa da pandemia. G1 reuniu as principais notícias do pleito desse ano na região. Na retrospectiva 2020, o G1 reuniu as principais notícias sobre as eleições no centro-oeste paulista
TV TEM/ Reprodução; Arquivo pessoal
O ano 2020 foi marcado pelas eleições municipais durante uma pandemia. O coronavírus também mudou a realização do pleito, a começar pela data.
As eleições, normalmente realizadas em outubro, foram adiadas para novembro neste ano. A campanha ganhou as redes sociais e além dos documentos pessoais, o eleitor teve que levar para a urnas a máscara, álcool em gel e a própria caneta.
Na terceira reportagem da retrospectiva 2020, o G1 reuniu as principais notícias sobre o pleito no centro-oeste paulista.
Mortes, chuva, acidentes e crimes: as tragédias de 2020 no centro-oeste paulista
Números, mortes, altas sob aplausos e drive-thru no shopping: ano da Covid-19
Curiosidades das eleições
BORÁ (SP), fila formada logo pela manhã no menor colégio eleitoral do estado do SP
Fábio Linhares/TV TEM
No centro-oeste paulista, as eleições revelaram várias curiosidades, especialmente em relação aos números. Cinco cidades da região têm mais eleitores que moradores segundo os dados divulgados pelo Tribunal Superior Eleitoral.
A maior diferença na região foi registrada em Arco-Íris, cidade com apenas 1.723 moradores, mas que registra 2.263 eleitores, ou seja, 490 pessoas a mais aptas a votar do que a população estimada pelo IBGE. A situação se repete em outras quatro cidades da região: Borá, Uru, Florínea e Paulistânia.
Os números também destacaram três cidades da região – nesse caso o número 1 – essa era a quantidade de votos que três candidatos precisavam para se eleger em Tabatinga, Boraceia e Espírito Santo do Turvo. Nas três cidades, apenas um candidato disputou as eleições nesse ano.
Já em Borá, menor município do estado de São Paulo e o segundo do país, um vereador precisou de pouco mais de números, mas foi com apenas 29 votos que Cristiano (PSDB) foi eleito para ocupar a 9ª cadeira da Câmara de Vereadores da cidade a partir de 2021. Ao todo, 37 candidatos disputaram as vagas no Legislativo na cidade. Os mais votados, Cecilia (PTB) e Paulinho (REPUBLICANOS), tiveram 70 votos.
Em Guarantã, a curiosidade foi com o número de mulheres eleitas para Câmara Municipal. Foram cinco no total o que significa que em 2021 terá mais mulheres no legislativo do que homens. A câmara majoritariamente feminina é um fato inédito na cidade que tem 5.195 eleitores e nove cadeiras no legislativo. Na atual legislatura não há nenhuma mulher e na anterior, eram duas.
Eleições 2020: veja as curiosidades na composição de câmaras de vereadores no centro-oeste paulista
Primeira mulher negra eleita em Bauru
Suéllen Rosim participou de live no Facebook logo após a confirmação da vitória sobre Dr Raul (DEM)
DIvulgação/Facebook
Quanto a representatividade das mulheres na política, Bauru também deu seu exemplo ao eleger a primeira mulher para comandar a cidade. A jornalista Suéllen Rosim, de 32 anos, também é a primeira pessoa negra a ocupar o cargo de prefeito na cidade, segundo os historiadores.
No entanto, antes mesmo de ser eleita, a nova prefeita de Bauru precisou enfrentar ataques racistas nas redes sociais. As mensagens foram divulgadas em um grupo de WhatsApp e chegaram ao conhecimento dela, que registrou um boletim de ocorrência após o segundo turno no dia 29 de novembro e o caso passou a ser investigado pela Polícia Civil.
Mensagens com conteúdo racistas contra a prefeita eleita de Bauru foram divulgadas no Whats App
Whats App/ Reprodução
Em um dos trechos da mensagem postada no grupo, o agressor diz “não podemos eleger aquela mulher com cara de favelada para ser nossa prefeita. Essa gentinha irá afundar Bauru”. Em outra mensagem, ele diz: “não tenho nada contra, mas essa gente de pele escura, com cara de marginal administrado essa cidade, será o fim”.
O autor das ofensas foi identificado, ouvido e liberado. Segundo a polícia, é um homem negro de 37 anos e fez as postagens com intuito de provocar a discussão sobre o racismo velado. Ele vai ser investigado pelo crime de injúria racial. Apesar da tipificação do crime presente no inquérito policial, o Conselho da Comunidade Negra entrou com uma representação no MP para que o caso seja investigado com racismo. O Ministério Público aceitou essa representação e envio para análise da Justiça.
Prefeita eleita de Bauru, SP, sofre ataques racistas nas redes sociais
Além das ofensas nas redes sociais, Suéllen também recebeu uma ameaça de morte por e-mail. O autor da ameaça ainda não foi identificado e a polícia segue com as investigações do caso.
Paralelo a isso, a prefeita eleita iniciou o processo de transição do governo e anunciou no último dia 23 de dezembro o novo secretariado.
Reeleitos
Em Botucatu, Ourinhos e Marília, os prefeitos foram reeleitos. Em Botucatu, Mário Pardini teve mais de 80% dos votos válidos. Lucas Pocay foi reeleito em Ourinhos com 65,65% dos votos válidos.
Já em Marília, o prefeito Daniel Alonso conseguiu a reeleição com pouco mais de 50% dos votos válidos. Em entrevista à TV TEM após o resultado das eleições, o prefeito reeleito disse que se sentia “mais preparado” para o segundo mandato depois de assumir o Executivo mariliense em meio a grandes dificuldades.
Reeleito, Daniel Alonso se vê ‘mais preparado’ para comandar retomada pós-pandemia em Marília
TV TEM/Reprodução
Quem também foi reeleita em Marília foi a vereadora Professora Daniela, que foi alvo de polêmica na cidade. O caso começou no dia 16 de agosto quando o carro da vereadora foi apreendido e guinchado por estar com documentos vencidos e pneus gastos, segundo o sargento da PM que fez a abordagem.
Na ocasião, a vereadora ligou para a tenente-coronel Márcia Cristal, então comandante do 9º Batalhão da Polícia Militar de Marília, que entrou em contato com o sargento e ameaçou trocá-lo de função caso não tivesse “bom senso” nas abordagens. O áudio da ligação viralizou nas redes sociais.
PM guincha carro irregular de vereadora de Marília e é punido por tenente
A Polícia Militar abriu uma sindicância interna para apurar os fatos e o caso também é acompanhado pelo Ministério Público. Já a Câmara de Marília abriu uma Comissão Processante para investigar a conduta da vereadora, mas após ouvir oito pessoas, entre elas a própria parlamentar e os policiais militares envolvidos no caso, a CP foi arquivada.
Vereadora de Marília Professora Daniela (PL) investigada após pedir para não ter carro guinchado depõe na CP
Flávio Coelho/TV TEM
Diversidade representada
Bariri elege a primeira vereadora trans na história da Câmara, Myrella Soares da Silva (DEM)
Arquivo pessoal
Assim como Bauru que elegeu a primeira mulher prefeita da cidade, Bariri também teve uma estreia nas eleições desse ano. A servidora pública municipal Myrella Soares da Silva, do DEM, tornou-se a primeira mulher trans a se eleger vereadora na cidade de cerca de 35,5 mil habitantes.
Com 343 votos, Myrella, de 39 anos, foi eleita vereadora com a oitava maior votação e tornou-se ainda a única mulher na cidade a conquistar um cargo público no voto popular – ela vai dividir o plenário e a tribuna da Câmara com 8 homens. Ela também é a primeira vereadora trans no centro-oeste paulista.
Já em Santa Cruz do Rio Pardo, o prefeito eleito é assumidamente gay e classificou a sua vitória nas urnas uma verdadeira inclusão, uma vez que ele superou rivais conservadores que disputavam também o cargo. Diego Singolani (PSD), 32 anos, que disputou o pleito como Diego da Saúde, foi eleito com quase 65% dos votos válidos.
“As pessoas estão mudando de mentalidade quando o assunto é escolher quem vai comandar sua prefeitura. Elas não se interessam mais tanto pela vida pessoal do candidato, a população quer eficiência. E tenho certeza que fui eleito pelo meu trabalho e não pelo que faço de minha vida enquanto indivíduo”, disse o futuro prefeito em entrevista ao G1.
Prefeito gay eleito em Santa Cruz do Rio Pardo vê ‘verdadeira inclusão’ após superar rivais conservadores nas eleições desse ano
Arquivo pessoal
Cobertura na 100 cidades
Outro destaque na cobertura das eleições de 2020, foi a publicação do G1 com auxílio da inteligência artificial de textos com as informações dos prefeitos eleitos nas 100 cidades das regiões de Bauru e Marília.
As reportagens traziam informações com base nos dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), tais como o percentual de votos do candidato, o número de abstenções, votos brancos e nulos.
Veja mais notícias da região no G1 Bauru e Marília.
Veja mais notícias do centro-oeste paulista: