Preso por matar mulher se passou pela vítima na web após crime para 'justificar' sumiço: 'Estou com Covid'


Suspeito de 38 anos ainda comentou a publicação, com o próprio perfil, e disse à familiares da vítima que ela estaria internada em um hospital em Ourinhos (SP). Crime ocorreu no Dia das Mães, em Itatinga. Preso por matar mulher com canivete em Itatinga se passou pela vítima na web
Facebook/Reprodução
O homem de 38 anos que foi preso suspeito de matar a garçonete Nilcéia Ferreira, de 39, com golpes de canivete no pescoço em Itatinga (SP), se passou pela vítima nas redes sociais para “justificar” o sumiço dela para a família, de acordo com a Polícia Civil.
Segundo o delegado seccional de Botucatu, Lourenço Talamonte Netto, a vítima estava desaparecida desde o dia 9 de maio, Dia das Mães, quando foi morta. No entanto, a família só registrou boletim de ocorrência por desaparecimento na segunda-feira (17).
Após investigação, a garçonete foi encontrada morta na quinta-feira (20) em uma fazenda de Itatinga, depois que Silvio Adão, que já estava preso temporariamente pelo crime, confessou o feminicídio e indicou à polícia o local onde o corpo estava.
“Ela estava desaparecida desde o dia 9 de maio, mas a família fez o BO essa semana com a gente. Inclusive ele postou usando o WhatsApp, o Facebook dela, postou mensagem como se fosse ela, dizendo que ela estaria com Covid”, explica o delegado.
Suspeito chegou a comentar post que fez se passando pela vítima em Itatinga
Facebook/Reprodução
A postagem estava mais de 80 comentários até a tarde desta sexta-feira (21). Nas mensagens, amigos desejavam melhoras à vítima e o próprio Sílvio chegou a comentar a publicação.
“Bom dia a todos. Estou com Covid. Que o senhor nos abençoe, se Deus quiser vai dar tudo certo”, postou o suspeito como se fosse a vítima. “Vamos vencer juntos, amor”, comentou Sílvio na publicação.
De acordo com o boletim de ocorrência, a irmã de Nilcéia relatou à polícia que mandou mensagem para a vítima no dia do crime, a parabenizando pelo Dia das Mães. No entanto, ela disse que não foi respondida e que, no dia 10, Nilcéia mandou mensagem informando que estava com Covid, internada em um hospital de Ourinhos (SP).
“Mas a família achou estranho porque tinham muitos erros de português nessa mensagem, e ela não costumava escrever. Segundo a família, ela mandava áudio”, comenta o delegado.
Garçonete é morta com golpes de canivete em Itatinga; suspeito foi preso
Ainda de acordo com o depoimento da irmã aos policiais, ela também chegou a entrar em contato com Sílvio, que confirmou que Nilcéia estaria internada, mas que não poderia tirar fotos porque ele também estava hospitalizado.
Conforme o BO, a família disse à polícia que pesquisou o hospital que Sílvio disse que Nilcéia estaria internada, mas não o encontrou. Os parentes ainda aguardaram até o dia 16, quando eles teriam alta e voltariam para casa, mas os dois não apareceram e o BO foi registrado.
Investigação
A partir do boletim de ocorrência por desaparecimento, a Polícia Civil passou a investigar o caso e pediu a prisão temporária de Sílvio, que foi decretada nesta quarta-feira (19).
Em depoimento à polícia, o homem “confessou o crime friamente, sem demonstrar nenhum arrependimento”, segundo o delegado, e indicou onde havia escondido o corpo de Nilcéia.
Corpo foi encontrado em uma propriedade rural de Itatinga
Polícia Civil/Divulgação
Na quinta-feira (20), a garçonete foi encontrada morta em uma fazenda de Itatinga, em um local a cerca de 850 metros da portaria, em meio à uma plantação e enterrada sob galhos de eucalipto.
De acordo com a Polícia Civil, Nilcéia e Sílvio se conheceram pela internet e estariam se relacionando há algum tempo. O suspeito disse à polícia que matou a vítima porque se envolveu em uma discussão com ela na fazenda, e ela teria o ameaçado com o canivete.
O suspeito segue preso por feminicídio na cadeia de Itatinga, e a vítima foi enterrada nesta sexta-feira (21) em São Manuel.
Vítima foi morta com golpes de canivete em Itatinga
Polícia Civil/Divulgação
VÍDEOS: assista às reportagens da região
Veja mais notícias da região no G1 Bauru e Marília