Polícia prende suspeito de participação no mega-assalto de Botucatu e no roubo de ouro no Aeroporto de Guarulhos


Carlos Wellington Marques de Jesus é irmão do suposto líder da quadrilha que orquestrou o roubo que aterrorizou cidade do interior de SP, em julho de 2020. Ele foi detido com armas e documentos falsos no Centro de SP. Carlos Wellington de Jesus, de 36 anos, é foragido da prisão no estado do Piauí, onde foi condenado a uma pena de mais de 35 anos por roubo a transportadora de valores.
Reprodução
Policiais Civis de São Paulo prenderam nesta sexta-feira (26) Carlos Wellington Marques de Jesus, de 36 anos, suspeito de participar do ataque da quadrilha que explodiu uma agência bancária e aterrorizou moradores de Botucatu, no interior de São Paulo, em julho de 2020.
Ele é suspeito também de ter participado do assalto que levou mais de 760 quilos de ouro de um terminal de cargas do Aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos, em 2019.
Carlos Wellington é foragido da prisão no estado do Piauí, onde foi condenado a uma pena de mais de 35 anos por roubo a transportadora de valores, com sequestro do gerente de uma agência bancária.
Suspeito de participar de mega-assalto de Botucatu é preso com armas e documentos falsos em SP
Divulgação
No momento da prisão, realizada no Centro da capital paulista nesta manhã, ele portava duas pistolas e apresentou documentos falsos aos policiais, fazendo-se passar por outra pessoa, o que também é crime.
Segundo a polícia, o preso é irmão de Carlos William Marques de Jesus, conhecido como Grandão, que também já foi preso por suspeita de participação do mega-assalto. Grandão foi localizado em outubro de 2020 quando se preparava para fazer uma cirurgia na capital paulista e é apontado como o líder do mega-assalto de Botucatu. Com as prisões deles, pelo menos 10 integrantes da quadrilha já foram presas.
Carlos Wellington foi localizado por agentes do Departamento Estadual de Investigações Criminais (Deic) no cento da Capital paulista durante a manhã.
Além do mega-assalto de Botucatu, ele teria participado também de outros assaltos a carros-fortes no estado.
Polícia prende suspeito de liderar mega-assalto a banco em Botucatu
A Polícia Civil apura a participação dele também no roubo de mais de 700 quilos de ouro no Aeroporto Internacional de Cumbica, em Guarulhos, na Grande SP, em julho de 2019, quando um funcionário do terminal disse ter sido mantido refém por uma quadrilha que organizou o assalto. Outras 6 pessoas que participaram desse assalto também já foram presos.
Investigadores apontam ainda a participação do suspeito preso nesta sexta (26) em roubos a banco realizados nas cidades de Ourinhos, Araraquara e Bauru.
Já Grandão, irmão do preso nesta sexta, foi localizado em outubro de 2020 quando já estava na maca, ainda de avental, já sob efeito de sedação para fazer uma retirada de projéteis balísticos. Ele foi atingido durante troca de tiros entre os assaltantes e os policiais durante o assalto ao banco em Botucatu (leia mais abaixo).
Carlos William Marques de Jesus, conhecido como Grandão, quando ele se preparava para fazer uma cirurgia em um hospital na região da Avenida Paulista
Divulgação/Polícia Civil
Ele também apresentou documentos falsos para fazer a cirurgia e negou que estivesse procurado pela Justiça.
Os policiais informaram que o DNA dele foi coletado na cena do crime, no interior de SP. Depois da prisão, ele foi levado para o Departamento de Operações Policiais Estratégicas (Dope).
Veja os vídeos do ataque que aterrorizou moradores em Botucatu
De acordo com a polícia, Carlos Willian pagou para que moradores da região de Botucatu, onde se escondeu, o medicassem na fuga.
Polícia identifica irmãos suspeitos de liderarem ataque a bancos em Botucatu
Ataque em Botucatu
O assalto em Botucatu em julho durou cerca de três horas e pelo menos 40 homens teriam participado da ação criminosa. Na ação, os bandidos fizeram moradores reféns e roubaram uma joalheria. A dona da loja acompanhou a ação dos criminosos ao vivo pelo celular.
Terror em Botucatu: bandidos atacam agências bancárias e trocam tiros com a polícia
A troca de tiros intensa foi ouvida de vários pontos da cidade e balas atingiram imóveis em uma das ruas usadas como rota de fuga do bando. Na tentativa de acalmar a população da cidade, um padre fez uma live durante os ataques e pediu proteção.
Dois policiais ficaram feridos durante o confronto na madrugada, mas já receberam atendimento médico e passam bem. Imagens de circuito de segurança registraram o momento em que um deles é atingido por tiros.
Vídeo mostra momento em que policial é baleado por bando que atacou agências em Botucatu
Criminosos atacaram pelo menos três agências na Rua Amando de Barros, no centro de Botucatu
Arte G1
Vídeos: Tudo sobre São Paulo e Região Metropolitana
Segundo a polícia, o ataque em Botucatu em agosto durou cerca de três horas e pelo menos 40 homens teriam participado da ação criminosa. Na ação Os bandidos fizeram moradores reféns e roubaram uma joalheria.