Macatuba apura se ex-vice-prefeito 'furou fila' ao pegar dose de vacina contra a Covid para filho que faz medicina


Prefeitura abriu sindicância depois que uma conversa com a denúncia passou a circular nas redes sociais. Amauri Bornello informou que os funcionários da sua clínica foram chamados para tomar a vacina. Conversa que circula nas redes sociais denuncia ex-vice-prefeito de Macatuba
Arquivo pessoal
A prefeitura de Macatuba (SP) abriu uma sindicância nesta segunda-feira (1º) para investigar uma possível “violação na escala de prioridades da vacinação contra a Covid-19”.
Segundo uma conversa que circula nas redes sociais, o ex-vice-prefeito da cidade, Amauri Bornello, teria “furado a fila” da vacinação ao pegar uma dose no posto de saúde para o filho que faz medicina e não estaria no grupo prioritário da primeira etapa de imunização. (Veja acima)
Por causa disso, a prefeitura abriu uma sindicância para investigar os fatos e apurar possíveis falhas internas, tanto de procedimento quando dos servidores.
No sábado (30), a prefeitura chegou a dizer que registraria um boletim de ocorrência porque considera que a conduta do ex-vice-prefeito “não é digna de sua profissão”. No entanto, nesta terça-feira (2), informou que vai aguardar a conclusão da sindicância interna.
Ao G1, Bornello informou que ele e o filho estão “sendo vítimas de um fato que a prefeitura distorceu para fugir de sua responsabilidade”. Segundo o cirurgião dentista, o posto de saúde central convocou todos os funcionários de sua clínica para serem vacinados na quarta-feira (27).
“Sendo assim, todos nós da clínica, inclusive meu filho, que é estudante de medicina e que também trabalha conosco na clínica desde o ano passado, nesse tempo de pandemia, devido a suas aulas estarem ocorrendo online, nos apresentamos no setor de vacinação do posto de saúde”, explicou.
Ainda de acordo com o ex-vice-prefeito, os funcionários passaram por uma triagem e foram autorizados a tomar vacina. Ele disse ainda que, durante a aplicação, não houve objeção alguma por parte das autoridades que estavam na sala.
Denúncias na região
Quinze cidades do centro-oeste paulista têm até o fim da semana para prestarem informações ao Tribunal de Contas do Estado (TCE) de São Paulo sobre as campanhas de imunização municipais contra o novo coronavírus.
Entre os questionamentos do TCE, está um que se refere aos métodos implantados para controlar as pessoas que já foram vacinadas, incluindo o cronograma para aplicação da segunda dose dentro do prazo fixado pelas fabricantes.
O TCE também cobra quais medidas serão adotadas em caso de descumprimento das regras de prioridades e explicações de como foi feito o cadastramento dos grupos prioritários.
As cidades da região que devem explicações são: Álvaro de Carvalho, Bariri, Bocaina, Borborema, Botucatu, Campos Novos Paulista, Duartina, Fernão, Guarantã, Herculândia, Ipaussu, Jaú, Queiroz, Reginópolis e Sabino.
Tupã suspende vacinação contra Covid-19 após suspeita de ‘fila furada’ por diretor da Santa Casa, Valdo Pereira
Arquivo pessoal
Em Tupã, a prefeitura chegou a suspender a vacinação depois de uma postagem em uma rede social que mostrava um diretor integrante da irmandade que administra a Santa Casa sendo vacinado e festejando o feito.
Em nota, após a reunião, a prefeitura informou que, depois de uma averiguação, a vacinação no posto instalado na Santa Casa que havia sido interrompida temporariamente foi retomada horas depois e que “não houve irregularidades” no episódio.
Veja mais notícias da região no G1 Bauru e Marília
Confira mais notícias do centro-oeste paulista: