Coletivo de mulheres repudia ação de Fernando Cury após parlamentar ser gravado passando a mão em deputada


Documento feito por mulheres de Botucatu, cidade natal do deputado, foi enviado à Câmara da cidade, à Assembleia Legislativa e também para a deputada Isa Penna (PSOL), que denunciou e pediu a cassação do parlamentar no Conselho de Ética. Deputado Fernando Cury no momento em que passa a mão no seio da na deputada Isa Penna durante sessão na Alesp
Reprodução
Um coletivo de mulheres de Botucatu (SP), cidade natal do deputado estadual Fernando Cury, divulgou um manifesto de repúdio contra a atitude do parlamentar, que foi flagrado na quarta-feira (16) por câmera da Assembleia Legislativa de São Paulo (Alesp) passando a mão no seio da deputada Isa Penna (PSOL).
No documento, o grupo Unidas na Política (União de Mulheres na Política de Botucatu), afirma repudiar o “machismo que mulheres democraticamente eleitas vem sofrendo” toda vez que conseguem se inserir na política institucional por meio de candidaturas e mandatos.
Segundo o documento, esse machismo se manifesta “através de atos de violência, tais como o assédio moral e sexual”.
O grupo, criado em novembro de 2019, conta com cerca de 60 mulheres e se autodefine como suprapartidário e formado por mulheres progressistas que querem se contrapor à onda conservadora que ameaça, justamente, os direitos das mulheres. O grupo também tem a proposta de incentivar a participação das mulheres na política.
Deputada estadual acusa parlamentar de Botucatu por importunação sexual
O documento, que foi enviado à Câmara de Vereadores de Botucatu, à presidência da Assembleia Legislativa e à própria deputada Isa Penna, pede às autoridades rigor na apuração e no julgamento do caso.
“Ao deixarmos que casos como este fiquem invisíveis e impunes, perpetuamos essa prática e impedimos que as mulheres se empoderem para participar das decisões importantes nos governos. A participação na política de todos os setores da sociedade e grupos ditos minoritários é fundamental para uma democracia real”, diz o documento.
O documento também inclui outro caso na região, este de racismo, em que uma mulher sofreu ataques por usa condição de mulher e negra, eleita para um cargo público. O coletivo se refere às ameaças de morte e ataques racistas contra a prefeita eleita de Bauru, Suéllen Rosim (Patriota).
BO e Conselho de Ética
Depois do assédio da última quarta, a deputada Isa Penna registrou boletim de ocorrência contra o deputado por importunação sexual e abriu uma representação contra ele no Conselho de Ética da Casa.
A denúncia só será analisada em fevereiro, depois do recesso parlamentar. Um abaixo-assinado nas redes de Isa cobra antecipação.
Isa Penna durante conversa com a imprensa nesta sexta-feira (18): “Ele [Fernando Cury] estava bêbado”
Reprodução
Também em plenário, o deputado Cury pediu desculpas por “abraçar” a colega. Ele negou que houve assédio ou importunação sexual.
Em entrevista coletiva nesta sexta-feira (18), Isa Penna disse que o deputado Fernando Cury “estava bêbado” ao passar a mão no seio dela durante sessão da Assembleia Legislativa.
Fernando foi afastado de seu partido Cidadania nesta sexta-feira (18). Em comunicado, o Cidadania afirma que a Comissão Executiva Nacional decidiu a afastar o deputado “de todas as funções diretivas partidárias, em todas as instâncias, bem como de todas as funções exercidas em nome do Cidadania, inclusive junto à Alesp”.
Veja mais notícias da região no G1 Bauru e Marília
Confira mais notícias do centro-oeste paulista: