Botucatu recebe 4,4 mil doses da CoronaVac para imunizar profissionais do Hospital das Clínicas


Primeira fase da vacinação na cidade também vai imunizar a população indígena e quilombola. HC de Marília deve receber as doses da vacina na tarde desta segunda-feira (18). Milhares de doses da CoronaVac foram enviadas ao interior de SP nesta segunda-feira (18)
Governo de SP/Divulgação
Botucatu recebe nesta segunda-feira (18) 4,4 mil doses da vacina Coronavac para imunizar os profissionais do Hospital das Clínicas, unidade que é referência no tratamento da Covid-19 na região. Além dos profissionais da saúde, também serão imunizadas as populações indígena e quilombola.
O hospital é uma das seis unidades de saúde que foram listadas para receber as vacinas nesta segunda-feira no estado de São Paulo. Os caminhões que fazem o transporte da vacina saíram por volta das 8h do Centro de Distribuição e Logística (CDL) da capital e devem chegar à cidade do centro-oeste paulista no início desta tarde.
Caminhões com doses da vacina saíram de SP rumo às cidades do interior
Sérgio Oliveira/EPTV
A vacinação começa às 17h30 com a presença do governador de São Paulo, João Doria (PSDB), que segue para Botucatu após participar do início da vacinação em Campinas, no hospital da Unicamp.
No período da tarde, outros três caminhões saem em direção aos HCs de Ribeirão Preto (USP) e Marília (Famema), bem como ao HB de Rio Preto (Funfarme). Segundo a prefeitura de Marília, a vacinação começa nesta terça-feira (19) a partir das 13h.
Caminhão sai de SP para levar doses da CoronaVac ao HC de Botucatu
O governo do estado de São Paulo anunciou que vai começar nesta segunda-feira (18) a distribuir doses, seringas e agulhas para seis hospitais de referência do estado, para o início da vacinação contra a Covid-19. Entre as unidades contempladas, estão o Hospital das Clínicas de Botucatu e de Marília.
Milhares de doses da CoronaVac foram enviadas ao interior de SP nesta segunda-feira (18)
Governo de SP/Divulgação
Começo da imunização
A vacinação no país começou neste domingo (17) no Hospital das Clínicas, após Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) autorizou, por unanimidade, o uso emergencial das vacinas CoronaVac, do Instituto Butantan, e da Universidade de Oxford. A primeira dose da CoronaVac no Brasil foi aplicada já neste domingo (17), em uma enfermeira de São Paulo.
PLANTÃO: Anvisa forma maioria de votos a favor do uso emergencial das vacinas Coronovac e de Oxford
Segundo o governo do estado, as grades de vacinas e insumos também serão enviadas a polos regionais para redistribuição às prefeituras, com recomendação de prioridade a profissionais de saúde que atuam no combate à pandemia.
Os municípios também deverão imunizar a população indígena com apoio de equipes da atenção primária do SUS, segundo as estratégias adequadas ao cenário local.
De acordo com o governo estadual, essas unidades foram selecionadas para a fase inicial porque são hospitais-escola regionais, com maior fluxo de pacientes em suas áreas de atuação, e todos devem iniciar nesta semana a vacinação de suas equipes, que totalizam 60 mil trabalhadores.
A divisão das grades considerou o quantitativo proporcional de vacinas esperado para São Paulo conforme o PNI (Programa Nacional de Imunizações), do Ministério da Saúde. O total de 1,5 milhão de doses é a referência para trabalhadores de saúde baseado na última campanha de vacinação contra a gripe.
O governo informou ainda que a campanha de imunização contra a Covid-19 em São Paulo será desenvolvida segundo a disponibilidade das remessas do órgão federal. À medida que o Ministério da Saúde viabilizar mais doses, as novas etapas do cronograma e públicos-alvo da campanha de vacinação serão divulgadas pelo Governo de São Paulo.
Veja mais notícias da região no G1 Bauru e Marília
Veja mais notícias do centro-oeste paulista: